domingo, 8 de setembro de 2013

O prazer da fofoca.


            Quem nunca se viu em uma situação desagradável mediante há um boato ou um fato que não deveria ser contado, situação esta que é efetivada com o fundamento de constranger, ofender enfim denegrir e diminuir a pessoa. Esta situação e denominada popularmente de fofoca. Em muito as pessoas fofocam quando não conseguem lidar com diferenças, quando se sentem inferiorizadas por algum motivo ou sentem inveja do sucesso do colega.
            Nas empresas esta atitude negativa é mais constante do que se pensa é no ambiente de competitividade onde um colega tenta se sobrepor sobre o outro, alem da concorrência saudável da qualidade profissional, do desenvolvimento qualitativo das atividades surge esta ferramenta que é adotada erroneamente por profissionais, tentando diminuir, denegrir o colega de trabalho. Pessoas que patrocinam este expediente estão sendo analisadas com rigor vez que esta atitude prejudica e muito o ambiente de trabalho.
            O fofoqueiro é visto como uma pessoa de pouca confiança, que não cria laços e nem vínculos amistosos, que não tem comprometimento. Este tipo de profissional é altamente descartável em um ambiente profissional. É tido como pernicioso que prejudica a imagem da empresa e dos funcionários. Muitas empresas entendem que o ambiente de trabalho precisa ser preservado se tornando o mais agradável possível para o exercício das atividades, assim estão aos poucos execrando os gerentes que não tem o perfil para dirimir conflitos e também não têm a habilidade interpessoal e a bola da vez dentro das corporações é a eliminação do fofoqueiro, é como cortar o mal pela raiz.
            Ainda devemos ressaltar que o boato ou a fofoca alem de prejudicar o ambiente de trabalho e as pessoas tem um composto depreciativo e diminutivo e se não combatido pela empresa em situação extrema pode vir a causar danos psicológicos a vitima podendo a empresa responder pela prevaricação ou inépcia na atitude.
            Segundo o portal empregocerto.uol.com.br em uma pesquisa feita na cidade de São Paulo entendeu que 83% dos entrevistados têm como maior incomodo as fofocas excessivas no ambiente de trabalho. Mais a razão é que não temos como ficar longe das fofocas e boatos, todos são alvo em potencial e muitos espalham o boato com o intuito de ele chegar ate o chefe ou diretor. Na verdade o boato tem um objetivo principal que é prejudicar a ascensão e o desenvolvimento profissional do colaborador.
            O fofoqueiro existe porque existe a pessoa que gosta de ouvir o boato, adora ficar informado de tudo, é preciso evitar que o falastrão tenha sucesso em levar a informação. Não existe uma regra básica para se evitar a fofoca na empresa, no entanto se você deseja não ser difamado um dia não alimente o falador. Evite sempre em ficar em rodas onde as pessoas tem este habito de difamar, tente sempre demonstrar respeito às pessoas mais exija respeito também é necessário impor alguma autoridade e maturidade e demonstrar seriedade. Quando presenciar algum fato que possa comprometer seu colega de trabalho não comente com os outros, respeite os limites não invada a vida das pessoas.
            Existem os tumultuadores que possuem habilidade para isso, assim não entre no jogo destas pessoas.
            O respeito às pessoas é inerente do bom convívio humano é o fator principal que move a engrenagem de uma sociedade, pessoas que não tem este principio dentro de si naturalmente se colocam a margem do emprego e do convívio social, é importante entender que muitos que praticam a fofoca e tem o prazer dentro de si em difamar são detentores de uma patologia que precisa ser tratada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Promessas de inicio de ano porque não as cumprimos.

Chega o começo e ano e com ele milhares de promessas que nos cercam, parar de fumar, emagrecer, parar de beber e muito mais. Na verdade, c...