quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Valorizar o melhor desempenho passa pela meritocracia.


 Quem que não se sentiu alguma vez na vida injustiçado em alguma promoção ou beneficio dentro de uma empresa?  Esta situação é mais comum do que se pensa, muitos se doam têm pretensões, planejamento em ascensão profissional, aumento nos rendimentos salariais e em receber um beneficio a mais também em receber o devido reconhecimento pela capacidade funcional e o pleno cumprimento das metas estipuladas, ai chega alguém que se sabe de onde e coloca por terra tal pretensão.
Este banho de água fria enterra o sonho, o desejo e provoca em todos que trabalham o questionamento de não ser capaz, competente e de na ter conhecimento suficiente para o desenvolvimento profissional, tal situação cria dentro do ambiente de trabalho pessoas menos produtivas desconfortáveis com as cobranças e também problemas de relacionamento, isto é altamente prejudicial a uma empresa.
Indo neste contraponto tão ineficaz surge o sistema de compensação por meritocracia que se baseia em três pilares básicos, obter, merecer e poder, estas situações que analisam o desempenho profissional como um todo, tendem a criar mais justiça na hora de oferecer benefícios sejam financeiros, próprios ou de ascensão profissional. Meritocracia é a recompensa sobre a analise qualitativa e quantitativa do desenvolvimento profissional aos colaboradores que atingem as metas pré estipuladas. É o estimulo aos colaboradores a desenvolverem as atividades em equipe, pois é analisado todos os parâmetros do desenvolvimento de uma atividade.
Neste processo que se julga mais democrático de premiação é necessário que a empresa estipule de forma clara o que julga necessário para o estabelecimento e cumprimento de metas. O que acontece e muito é que quando pré-definido o modelo meritocrático de recompensa as empresa sobrecarregam as pessoas nas metas não esclarecendo o que é prioritário, assim tudo acaba sendo prioritário, e quando isso acontece é que nada é prioritário.
Este sistema é importante para a devida justiça aos que realmente merecem e também seleciona melhor os funcionários que realmente fazem e os que deixam de fazer, tira da vala comum a mesmice profissional.
Entende-se que em todas as empresas existem pessoas valorosas, capacitadas e comprometidas ao desempenho profissional, no entanto o oportunista quer obter benefícios também, mas não se compromete neste sentido desenvolve a técnica do bajulador e adulador trabalhando com as vaidades e necessidades dos superiores para seu objetivo, e acredite estas pessoas conseguem ir muito longe em um local de trabalho onde não observa o desempenho por merecimento, ou seja pessoas que não merecem estar onde estão por deficiência técnica acabam se sobrepondo ao competente.
A meritocracia evidencia nas empresas os talentos e valoriza a qualificação não dando espaço ao mau colaborador vez que este não terá benefícios e ascensão profissional, assim é o modelo em muito utilizado pelas multinacionais e grandes corporações, no entanto pequenas empresas, comércios e prestadores de serviço tem pelo sistema de compensação e mérito premiado funcionários, é um sistema interessante que descobre muitos talentos dentro de uma empresa. Muitos já ouviram falar da pessoa que ocuparam cargos pequenos dentro de uma
empresa e acabaram assumindo os mais desejados cargos como o de executivo em uma determinada área e também de presidente. Este tipo de situação se da a meritocracia. É a justiça e a premiação ao talento.

Entenda sempre que as pessoas necessitam sempre de estímulos para se motivarem ao desempenho de uma função. Empresa hoje em dia deixou de ser tão somente aquela mentalidade fria de chão de fabrica e produção, hoje é necessário algo mais, que vislumbre no ser humano não so a vontade de trabalhar e ganhar dinheiro para prover suas necessidades. É necessário humanidade, respeito e sobretudo reconhecimento. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ORÇAMENTO DOMESTICO, POR QUE AS CONTAS NÃO BATEM?

Muitos se questionam por que o salário recebido no começo de mês não dá para pagar as contas? As dívidas são, em muitos dos casos, mai...